Adélia Prado abre o 9.º Fórum das Letras de Ouro Preto

◄ ☺ CURTA NAS REDES SOCIAIS ░ 13 de junho de 2013 ░ admin ░ Info+



Cultura em Manchette

Mineira de Divinópolis, a poeta Adélia Prado abre na noite desta quarta-feira (29) o 9.º Fórum das Letras de Ouro Preto. O tema de sua palestra – Literaturas da Origem – é também o mote do evento, que receberá, até o domingo (2), os escritores Affonso Romano de Sant?Anna, Angela Lago, Antonio Torres, Nei Lopes e Daniel Munduruku, entre outros. Tradicionalmente realizado em novembro, o evento foi antecipado este ano para o feriado de Corpus Christi, o que acabou influenciando na temática.

“Ao pensar esse tema, considerei a origem do ponto de vista universal – de fundamento, essência e arquétipo -, e do ponto de vista local, numa paisagem geográfica e humana que é o Brasil”, conta Guiomar de Grammont, idealizadora e curadora do festival promovido pela Universidade Federal de Ouro Preto. “Para abrir, convidei Adélia (ela também esteve lá em 2010), que tem uma obra ?epifânica? e uma fala inspirada”, completa. Além do sagrado, a programação promoverá o diálogo com as culturas indígena e africana, com as narrativas ancestrais, os rituais.

O Fórum das Letras não se restringe apenas aos encontros com os escritores, realizados no Cine Vila Rica à noite. No período da manhã, o Ciclo de Jornalismo e Literatura receberá nomes como Humberto Werneck, cronista do Caderno 2, e Ivan Marsiglia, editor-assistente do Aliás.

Já o encontro Livro em Questão, que estreou na programação do fórum no ano passado e foi sucesso de público ao mostrar os bastidores do livro, volta à agenda, mas com o apoio do Prêmio Sesc de Literatura, que completa 10 anos. A agente literária Lucia Riff, o proprietário da livraria Travessa Rui Campos e o best-seller Eduardo Spohr são alguns dos convidados e debatem questões como estratégias para conquistar novos leitores, o barateamento do livro e os novos papéis desempenhados pelos editores, escritores e agentes.

A novidade deste ano, porém, fica por conta do Ciclo Justiça, Letras e Artes. “O fórum está cada vez mais adquirindo o sentido de mercado romano, em que cada um traz a sua contribuição. Já tínhamos a colaboração dos cursos de Letras e Jornalismo; agora, o pessoal de Direito se convidou”, conta Guiomar. E também pela inclusão do Congresso de História da Mídia na programação, já que as datas dos dois eventos coincidiam. A mesa Mídia e Ditadura terá Audálio Dantas e Lucas Figueiredo, membros da Comissão da Verdade, e Paulo Markun.

Guiomar de Grammont, professora do departamento de Filosofia da UFOP, é também diretora do departamento de Literatura Brasileira do Grupo Record, que este ano doou 1.160 livros para o fórum distribuir a bibliotecas da região e preparar professores para o evento. O grupo é responsável, também, por oficinas e por levar uma boa quantidade de autores a Ouro Preto. “Mas a contrapartida mais importante que a Record dá nesse convênio é a publicação da revista Artefilosofia, do departamento de Filosofia.”

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Mais Cultura em Manchette